Feeds RSS
Feeds RSS

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Colhendo Clarice...

"Precisão"
O que me tranqüiliza é que tudo o que existe, existe com uma precisão absoluta.
O que for do tamanho de uma cabeça de alfinete não transborda nem uma fração de milímetro além do tamanho de uma cabeça de alfinete.
Tudo o que existe é de uma grande exatidão.
Pena é que a maior parte do que existe com essa exatidão nos é tecnicamente invisível.
O bom é que a verdade chega a nós como um sentido secreto das coisas.
Nós terminamos adivinhando, confusos, a perfeição.


Toda a parte mais inatingível de minha alma e que não me pertence - é
aquela que toca na minha fronteira com o que já não é eu, e à qual me dou. Toda
a minha ânsia tem sido esta proximidade inultrapassável e excessivamente
próxima. Sou mais aquilo que em mim não é.
E eis que a mão que eu segurava me abandonou. Não, não. Eu é que
larguei a mão porque agora tenho que ir sozinha.
Se eu conseguir voltar do reino da vida tornarei a pegar a tua mão, e a
beijarei grata porque ela me esperou, e esperou que meu caminho passasse, e
que eu voltasse magra, faminta e humilde: com fome apenas do pouco, com fome
apenas do menos.
(A Paixão Segundo GH. PÁG 123)


Mas há a vida que é para ser intensamente vivida, há o amor. Que tem que ser vivido até a última gota. Sem nenhum medo. Não mata.


"PRECISA-SE"
Sendo este um jornal por excelência, e por excelência dos precisa-se e oferece-se, vou pôr um anúncio em negrito: precisa-se de alguém homem ou mulher que ajude uma pessoa a ficar contente porque esta está tão contente que não pode ficar sozinha com a alegria, e precisa reparti-la. Paga-se extraordinariamente bem: minuto por minuto paga-se com a própria alegria. É urgente pois a alegria dessa pessoa é fugaz como estrelas cadentes, que até parece que só se as viu depois que tombaram; precisa-se urgente antes da noite cair porque a noite é muito perigosa e nenhuma ajuda é possível e fica tarde demais. Essa pessoa que atenda ao anúncio só tem folga depois que passa o horror do domingo que fere. Não faz mal que venha uma pessoa triste porque a alegria que se dá é tão grande que se tem que a repartir antes que se transforme em drama. Implora-se também que venha, implora-se com a humildade da alegria-sem-motivo. Em troca oferece-se também uma casa com todas as luzes acesas como numa festa de bailarinos. Dá-se o direito de dispor da copa e da cozinha, e da sala de estar. P.S. Não se precisa de prática. E se pede desculpa por estar num anúncio a dilarecerar os outros. Mas juro que há em meu rosto sério uma alegria até mesmo divina para dar.

sábado, 16 de julho de 2011

LOGO DE MANHÃ... BOM DIA!!!

BOM DIA!!!!!!!!!!!!!

O dia hoje nasceu tão azul...as cores mais fortes...o calorzinho do sol entrando na pele! 
Merecia uma dose de músicas leves e vibrantes... coloquei Rita Lee na Vitrola! 
A vida me brindando... eu brindando a vida!! 
Que o dia seja doce...leve e bem feliz!!!! 



Escolhi uma das músicas do repertório de hoje para ilustrar o que estou sentindo...


Mas enquanto estou viva e cheia de graça
Talvez ainda faça um monte de gente feliz



(escolhi o vídeo da tour de 87/88 que virou um especial de tv pela saudosa Rede Manchete...olha ela de polaina..rsrr)

quinta-feira, 14 de julho de 2011

ENCONTROS E DESENCONTROS

A VIDA NOS PREGA CADA PEÇA...




Esta música diz na sua última estrofe exatamente o que estou sentindo...
A leve impressão de que já vou tarde...
E o mais impressionante de tudo...é a falta de emoção...
Como diz Arnaldo Antunes... Socorro...


Socorro, não estou sentindo nada
Nem medo, nem calor, nem fogo
Não vai dar mais pra chorar, nem pra rir
Socorro, alguma alma, mesmo que penada
Me entregue suas penas
Já não sinto amor, nem dor, já não sinto nada
Socorro, alguém me dê um coração
Que esse já não bate, nem apanha
Por favor, uma emoção pequena
Qualquer coisa
Qualquer coisa que se sinta
Em tantos sentimentos
Deve ter algum que sirva
Socorro, alguma rua que me dê sentido
Em qualquer cruzamento, acostamento, encruzilhada

terça-feira, 12 de julho de 2011

CAIPIRA MAIS LINDA DA MAMÃE..

Olha que coisa mais lindaaaaaaaaaaaaa!!!! 

Abre a porta Mariquinha!!!!

Eu não abro não...
Deslumbrante (babando muito)

Pena que a filmagem foi super amadora...
video


video

video


video
apresentação do jazz...

A MULHER INVISÍVEL - Texto de Regina Teixeira da Costa

A mulher invisível


“O homem não sabe o que fazer para saciar uma mulher porque logo outro desejo brota”
Regina Teixeira da Costa
O que quer uma mulher? A pergunta é antiga, desde sempre feita e refeita pelos mais diversos pensadores e permanece sem resposta. Permanece perturbando o sono e sonhos de muitos amantes inconformados pelos percalços da vida amorosa, que mais faz barulho do que traz repouso à alma.
Decerto, cada sujeito tem desejos singulares e diferenças fundamentais do outro, qualquer outro. Nenhum homem é perfeito nem tampouco existe “a mulher” amada, idealizada pelos românticos. Todas deixam a desejar. Ainda bem! Nem se encontra a perfeição em lugar algum. Há lindas, nem por isso perfeitas. Longe disso. Além de desejantes, limitadas e insatisfeitas, nem elas sabem dizer exatamente o que querem.
Os homens igualmente não alcançam a plenitude. Nenhum homem, por mais potente que seja, poderá fazer tudo que quer do seu jeito e do jeito que sua mulher deseja. O homem não sabe o que fazer para saciar uma mulher porque logo outro desejo brota. Não há relações fáceis. Quem consegue abrir mão de todo seu desejo para atender o outro?
Pensando bem… na paixão fazemos exatamente isso. Pela chance da felicidade total, dá vontade de largar tudo e se jogar, corpo e alma fundidos ao outro, cara-metade, alma gêmea. É uma loucura. Acreditamos encontrar alguém do nosso número, como se fosse o modelito ideal e customizado! O que ilustra isso muito bem é o e-mail de uma leitora: “… para mim uma eterna questão: o ‘amor’, seus lances, enlaces, entraves. A forma que arrumamos ou, às vezes, programamos para estar com o outro… E ontem, assistindo ao novo programa da Globo, A mulher invisível, comecei a refletir sobre a metáfora passada por quem escreve o programa. O ‘amor’… a fantasia/idealização criada sobre a pessoa amada… É mais ou menos essa a ideia passada pelo programa: Pelo menos na minha forma de entender… Como tudo depende do olhar do observador, talvez minha ‘leitura’ diga mais de mim do que do programa, mas ainda assim acho válida a discussão…
A gente ama uma idealização, uma fantasia, algo nosso que refletimos ou delegamos ao outro. E quando a cortina cai, deixando essa verdade nua, o relacionamento acaba ou cria-se outra fantasia que ampare/substitua a anterior… cria-se ‘a mulher invisível’! Cria-se uma nova fantasia que preencha os requisitos que o real não tem, que tampone os furos que você não quer enxergar/aceitar… No fim das contas, o que prevalece é você e seu ideal… seja ele alto ou baixo, loiro ou moreno… um ‘ideal’, e pessoa nenhuma, amor nenhum será capaz de acompanhá-lo, superá-lo… Mas, como ocorre em toda escolha, você estará fazendo uma renúncia: abdicará do real para viver a fantasia… E eu me pergunto: vale a pena?… é nisso que se resume o amar?… Talvez o número enorme e crescente de solteiros possa dar alguma dica…”
A leitora disse tudo nessas questões, pois o amor faz esse engano. Doce veneno que tomamos felizes, com medo das consequências, mas quem pode dizer que não vale a pena? Portanto, como somos todos vítimas e autores ao mesmo tempo desse amor inventado, com o tempo ele mostra que podemos aprender a gostar do outro, suportar suas diferenças e apesar de todos os seus sintomas. Ao contrário, se amamos apenas a nós mesmos no outro, não suportando ser ele além de nossa própria imagem, ficamos presos como Narciso à beira do lago, apaixonado por seu próprio reflexo. Afogado no amor próprio. É isso aí. Amar o diferencial e saber construir parcerias duradouras é a arte de sobreviver a dois. Parabéns aos que sabem como navegar nessas águas, porque navegar é preciso e amar… amar é arte!
Publicado originalmente no jornal Estado de Minas em 10/07/2011. Fonte: UAI

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Mais um dia memorável na minha vida...

Quem foi que disse que o Céu é muito longe?
Não para mim...Eu alcanço as estrelas! 

"Foi um dia memorável, pois operou grandes mudanças em mim. Mas isso se dá com qualquer vida. Imagine um dia especial na sua vida e pense como teria sido seu percurso sem ele. faça uma pausa, você que está lendo, e pense na grande corrente de ferro, de ouro, de espinhos ou flores que jamais o teria prendido não fosse o encadeamento do primeiro elo em um dia memorável."

Charles Dickens, Grandes Esperanças


  

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Transformação

Oi gente...dei um sumiço por aqui...mas saibam que foi por uma boa causa.

Estou passando por uma transformação que vai mudar muita coisa em minha vida a partir da próxima semana.

Meu processo de transformação começou com a coragem de realizar um procedimento que há muito tempo eu queria, mas tinha medo.  Depois foi só um pulo para começar a fazer terapia...

Minha psicóloga diz que em 6 sessões já vê transformação no meu modo de pensar...de enxergar as situações e de querer mudar... e eu acredito nela.  Estou realmente me transformando...tendo mais cuidado comigo...dedicando mais tempo ao meu crescimento interior.

Semana passada eu dei uma escorregada...mas isso faz parte do crescimento também...e diante de tudo que vêm pela frente eu preciso me perdoar e seguir em frente.

Fase de jogar fora o que não serve mais...e isso são roupas, livros, pensamentos, preconceitos, atitudes e pessoas.

Li um livro que me fez chorar tanto...tanto...porque simplesmente não queria aquela vida que estava ali descrita...mas que parecia tão destinada à mim. Não quero! Ponto! Mereço e quero muito mais...
Este livro só não foi pro lixo porque eu ganhei de um amigo muito especial...mas vai ficar de castigo na estante!

Tenho uma vida inteira para viver...tenho amigos deliciosos...tenho uma filha maravilhosa....tenho humor...tenho inteligência...tenho felicidade e modéstia.. rsrsr

Minha nova fase começa no sábado...e quem quiser estar ao meu lado é muito mais que bem vindo...será tratado a pão de ló e com torrões de açúcar.

Mil beijos da mais nova borboleta...